quinta-feira, 18 de agosto de 2022

Investir buscando Renda ou Crescimento? Onde estará o equilíbrio?

Saudações,  confrades!

Escrevi este post baseado em um comentário que deixei recentemente no  blog do colega Viver, Viajar e Investir:

A questão Renda × Crescimento é algo que divide mesmo a comunidade das finanças. 

Eu mesmo fico na dúvida em diversos momentos sobre o que é mais importante (vide meu último post, em que eu falo da tentação de passar a investir só em FII para acelerar o crescimento da renda passiva). Priorizar o crescimento do valor ou o crescimento da renda.

Acho que isso pode ser meio que uma armadilha. 

A tentação de só aportar em FIIs por um tempo para aumentar a renda passiva mais rápido  é grande, mas é necessário resistir, até porque na real só tendo um patrimônio bem grande é que se começa a receber uma renda passiva realmente considerável, e neste ponto eu acho bastante provável que a pessoa que possui tal patrimônio não aceitaria viver com a renda passiva gerada, pois para ela seria uma renda pequena demais, uma renda aquém de seu padrão de vida. 

Raciocinando, se formos levar esta questão para um extremo de aportar em um só FII, e também para simplificar os cálculos, seria necessário ter aportado algo em torno de 164K reais em HGLG para receber 1 salário mínimo por mês de aluguel, considerando a cotação atual e o valor do aluguel que tem sido distribuído por cota (cotas na casa dos 164 reais e os aluguéis têm sido de R$ 1,10 por cota)

Eu acho que uma pessoa que consegue aportar 164K reais provavelmente não conseguiria viver com esse salário mínimo que receberia de aluguéis todo mês:  teria que continuar aportando para aumentar essa renda passiva, pois seu padrão de vida muito provavelmente é superior ao salário mínimo. 

Para receber 10K por mês (valor considerado um "santo graal" da finansfera), seria necessário 1,6 milhão aportado no HGLG.

Se o investidor diversifica, então ele tem muito mais de 1,6 milhão , pois não estaria aportando só no HGLG, então 10K por mês provavelmente é pouco dinheiro para um cara assim. Se ele não diversifica, e o 1,6 milhão representa todo o dinheiro dele, será que ele aguenta ter tanto dinheiro em um só ativo de renda variável?

Embora eu ache meio exagerada a forma como o Bastter trata os dividendos (com certo desprezo), eu entendo o ponto dele: não devemos escolher ativos pelo DY, pois esta busca por altos DY geralmente resulta em, ironicamente, menos renda passiva no futuro, tendo em vista que altos índices de dividendos ou aluguéis geralmente escondem riscos mais altos inerentes aos ativos em questão (vide o caso emblemático da Eletropaulo...)
Acho que diversificando bastante aumentamos as chances de aportar em empresas tenbaggers e até hundredbaggers, além de ter sempre alguma pagando dividendo, como eu já escrevi aqui diversas vezes.

Simulei aqui com a minha carteira, dividindo todo o valor em minha carteira de FIIs, mantendo as proporções atuais em cada fundo e considerando que compraria as cotas pelo meu preço médio atual em cada FII. 

Na simulação eu receberia uma renda passiva mensal de 19 coroas, praticamente o triplo da renda passiva que recebo atualmente.

Se eu colocasse tudo no HGLG, por exemplo, eu receberia umas 15,5 coroas, e se fosse no HGBS, seriam umas 16,5 coroas (vejam que a diversificação me faria ter uma renda passiva superior... então nem sempre é verdade a história de que diversificando reduzimos a renda)

Isso seria suficiente para eu pedir demissão e procurar um emprego mais tranquilo? Não, ainda não seria, e acho até melhor assim, pois a tentação para fazer isso agora mesmo seria demais, e não seria bom fazer isso às pressas.

Enfim, confrades,  apenas uma reflexão. Atualmente estou convencido de que o mais importante é focar no crescimento do valor do patrimônio,  e não perseguir renda passiva (a qual pode acabar sendo conquistada justamente por causa do aporte em valor... empresas boas tendem a continuar boas), mas volta e meia sou "atormentado" pela tentação de focar na renda para aumentar meu poder de aporte a curto prazo ou para poder ficar em um emprego mais tranquilo. 

Espero que eu continue focando em valor e vença a tentação!

Forte abraço,  companheiros de trincheira! Fiquem com Deus! 

29 comentários:

  1. Qual o valor que você busca atingir para uma possível IF?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei, anon. Não busco bem a IF... eu viso a TF, e não tenho um número certo para isso. A cada real aportado eu fico um tiquinho mais tranquilo e menos dependente de meu emprego.
      Mas, uma vez atingida a TF, eu não pararia de trabalhar, pois não acho que seria sustentável a longo prazo, tanto pro lado financeiro quanto pro lado espiritual/mental. Eu provavelmente iria para um emprego de meio expediente, ou abriria um negócio bem pequeno, fora trabalhos voluntários.

      Excluir
  2. Pergunta difícil de ser respondida , pois vai depender do perfil , objetivos e metas de quem aporta , sendo que cada cabeça uma sentença diferente .

    https://blogderasratel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, Ras Ratel. Cada um tem um objetivo diferente. Tinha um blogueiro chamado Viver de FII, que eu acho que a proposta dele era justamente a de só aportar em FII visando viver dos aluguéis recebidos. Se a pessoa tiver aportado muito, mas muito dinheiro, dá pra viver (vide meu exemplo hipotético dos 1,6 milhão aportados no HGLG, que proporcionam uma renda de 10K mensal de alguel, considerando os valores athais das cotas e dos aluguéis)

      Excluir
  3. Farmacêutico Investidor18 de agosto de 2022 23:32

    Acho que não devemos superestimar nem subestimar o potencial de uma carteira de FIIs, Mago. Para mim esses ativos são importantes na geração de uma "renda de suporte". Caso fique desempregado, consigo me sustentar sem precisar desfazer (muito) meu principal. Por outro lado, a valorização de ações pode ocorrer em médio-longo prazo. Na mesma situação (desemprego), poderia ter que me desfazer de parte deles em um momento de baixa, comprometendo o crescimento e a geração de dividendos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Farmacêutico, quanto tempo! Verdade, concordo contigo, podemos que pensar nos FIIs como se fossem um suporte da carteira, capaz de nos ajudar em momentos de sufoco. Se não temos essa renda de aluguéis, podemos acabar precisando vender ativos em momentos de baixa, então a renda passiva nos ajuda a evitar ou a no mínimo suavizar tais situações. Bom insight.
      Apesar do que escrevi no post, não vou deixar de aportar em FIIs, só vou afastar a proporção de FIIs na minha carteira da proporção de ações, mas também não pretendo afastar muito não. Estava pensando em alcançar um valor de 30% ações e 20% FIIs , ou 30% ações e 25% FIIs, ou algo assim. Ainda estou vendo. E para tais ajustes , não vou vender nada, vou ajustar nas compras.

      Excluir
    2. Farmacêutico Investidor19 de agosto de 2022 19:48

      Hah, mudei de emprego esse ano e fiquei bem ocupado com as bulshitagens corporativas, sempre iguais, independente de onde estamos. Isso só fortalece a ideia de que devemos ter várias fontes de renda além do salário. Esse ano estava pensando em comprar um studio para alugar para ter uma terceira fonte de renda.
      Acho que se vc puder cobrir 80-90% de seus gastos básicos mensais por meio de fiis/rendimentos seria o ideal. Sua % de distribuição parece bem sólida tbm - a única coisa que senti falta é renda fixa rs. As taxas estão obscenas.

      Excluir
    3. Valeu, Farmacêutico! por enquanto minha renda fixa é só a RE, na caderneta. Como eu já escrevi em outros posts por aqui, tenho mais medo de aportar no Tesouro Direto do que em ações e em FIIs. Estou criando coragem para aportar na renda fixa... Eu não sei, fico com medo desses Tesouro IPCA que vencem em 2045...

      Excluir
  4. Considero ser uma questão pessoal e de momento, eu mesmo nesse momento buscarei renda em FII, pois me deixa tranquilo emocionalmente ver renda passiva aumentar e sabe que sua oscilação é pequena comparada as ações. Podia ganhar mais com ações sem dúvidas, mas não tenho estômago pra ver fortes quedas pois isso iria me deixar mal, justamente o oposto q busco, quero investir para ter tranquilidade.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que precisa de muito estomago investir numa proporção 80/20 ações /fii's...eu atualmente estou 25% ações 20% renda fixa 5% etf e 50 Fii's...agora que a renda passou de 1 S.M. só de fii's...vou comprar mais ações até 30% ações 40% fiis e tentar esse equilíbrio

      Excluir
    2. O Tio Patinhas tocou num ponto importante que é a tranquilidade e a paz de espírito. Realmente a renda passiva dos FIIs, bem como a relativamente baixa oscilação de suas cotações são coisas que contribuem para o bem estar psicológico do investidor. Me dá alegria ver a minha renda passiva aumentando , e é por isso que todo mês invisto em FIIs. Por mais que eu esteja em dúvida sobre o que é mais importante, nunca deixarei de aportar em FII.

      A proporção que o Semeador Financeiro apresentou é bem interessante. Embora eu tenha optado pelo stock picking, não descartaria ter também um ETF que atendesse a meus critérios pessoais (alinhados com o "ETF ideal" imaginado pelo Bogle), então ter uns 5% de ETF na carteira não seria má ideia neste caso. Sua carteira está mesmo com uma divisão bem interessante e sua renda passiva é invejável... espero um dia conseguir essa marca de 1 S.M de renda passiva mensal. Deve ser libertador ter 1 S.M. "pingando" todo mês... deve dar muita confiança, o que deve até refletir em um desempenho melhor no trabalho, e imagino que atingir a marca de 2 S.M. por mês deve chegar mais rápido, e atingir os 3 S.M deve ser mais rápido ainda. Um dia chego lá, se Deus quiser!

      Excluir
  5. 1o ponto: Matematicamente, focar em crescimento. Mas renda dá muita paz psicológica.

    2o ponto: No mais, qualquer uma dessas estratégias mantida por 50 anos te dará muito patrimônio ao fim da jornada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, Neto. Focar em crescimento faz todo o sentido matematicamente, mas seres humanos não são robôs, então é necessário algum conforto psicológico, e a renda passiva realmente nos traz isto. E concordo que no longo prazo o patrimônio será multiplicado, mantidos os aportes!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Mago, eu acredito muito ser uma visão muito pessoal. É fato a diversificação devido outros fatores de risco que nos sabemos. Entretanto aonde queremos chegar e o motivo, chega a ser totalmente pessoal. Se você me perguntar hoje o que eu preferia seria sem sombra de duvidas cair 10 mil na conta todo mês. Você me perguntaria mas porque? Eu diria que seria para não trabalhar menos e ficar próximo ao meu filho o tempo todo. Você poderia falar mas você conseguiria um patrimônio ainda maior não focando no DY, mas a variável não e o patrimônio e sim a paz de estar atendendo o básico dentro de casa e podendo desfrutar do tempo. Lembrando que o tempo é o bem mais precioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, não há resposta exata, eu mesmo prefiro juntar 1M em 20 anos mas com paz sem agonia, que juntar em 10 sem paz e agonia em cada crash do mercado.

      Excluir
    2. Bem veradeiro, Vini. 10K por mês de renda passiva deve dar uma paz absurda, além de muita confiança no trabalho (que poderá ser mais tranquilo e ganhando menos)e acho que eu também preferiria os 10K na conta mensais sem estresse. O tempo é o bem mais precioso mesmo, pois nunca volta, e com uma boa renda passiva poderemos trabalhar menos e viver mais.

      E concordo com o tio Patinhas, mais uma vez. Prefiro demorar 20 anos pra juntar 1 milhão, só que tendo paz, do que juntar em 10 e me afobando com as eventuais quedas das ações.

      Excluir
  8. Fala Mago! Isso é bem paia, ainda mais pra quem está começando agora. O negócio é estudar e ter paciência. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí, Paul, paciência é a chave para muita coisa na vida! Abraço!

      Excluir
  9. Boa tarde Mago! Na minha visão temos duas formas de pensar interessantes sobre ativos de crescimento x renda, uma a favor de cada estratégia. A favor do crescimento está o fato que se você investe em um ativo é por que confia que ele tenha a capacidade de gerar mais lucro que você diretamente (senão você investiria você mesmo), assim nada mais lógico do que manter o lucro obtido na empresa para que ela reinvista nela mesma gerando o efeito bola de neve. Por outro lado, quando investe em ativos de renda você está dizendo que prefere receber os valores do lucro (ou parte dele) e você mesmo investir, podendo ser na própria empresa (comprando mais ações dela) ou fazendo um rebalanceamento investindo mais nas empresas em que vê maior potencial de crescimento de renda naquele determinado momento. Desta forma teoricamente você tem como aproveitar as oportunidades específicas de cada setor. No final ambas as estratégias são válidas, apesar de no momento estar mais propenso a segunda. Mas o que tenho reparado é que no longo caminho do FIRE mudamos nossa forma de pensar várias vezes, e isso é normal...comecei no caminho do FIRE pensando em crescimento apenas e hoje já estou bem mais focado em renda. No futuro posso voltar a ficar em crescimento e está tudo ok. O importante é investir em bons ativos...se são com foco crescimento ou renda não vai fazer muita diferença. O importante é focar em aumentar sua renda do trabalho, manter seus gastos controlados e reinvestir uma boa parte da sobra em algum bom produto. O resto é literalmente "questão de tempo". Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade. O que mais importa é aportar todo mês e segurar pelo maior tempo possível. A minha estratégia acaba sendo um mix de crescimento e renda. Talvez eu agora trace uma meta de renda passiva e, uma vez alcançada, eu dê uma desacelerada nos FIIs, mas sem deixar de aportar neles, é claro.

      Excluir
  10. É o eterno conflito entre o homo economicus (que estaria interessado apenas no retorno total dos seus ativos) e o homo sapiens (que sente a paz de espírito de ver os proventos magicamente aparecendo na conta). Advinha que animal somos nós?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkk...Boa analogia...

      Excluir
    2. Realmente foi uma boa analogia! Não somos (ou não deveríamos ser) meros otimizadores de retornos. Se o retorno financeiro total fosse tudo na vida, não compensaria nem sair da casa dos pais. E, realmente, ver os proventos caindo na conta dá muita paz.

      Excluir
  11. Vc saberia me dizer quantos % um iniciante ganha na bolsa por mês? E um avançado, tipo, um cara q tem uma rentabilidade muito boa, ganharia quantos % ao mês?

    Quando digo iniciante, digo um cara que tem lucros comuns, q é fácil ver as pessoas conseguindo. Valeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, amigo anon. Esta pergunta não tem resposta correta. Ninguém sabe para onde a bolsa vai, se vai subir, andar de lado, ou cair. Então o retorno, tanto do iniciante quanto do avançado, é extremamente variável, depende totalmente do objetivo de cada um e de em quais empresas cada um vai aportar, e não há maneira alguma de garantir um retorno mensal na renda variável. Ninguém consegue isso.

      No meu blog eu defendo a mentalidade do Buy&Hold, então sinceramente não me preocupo com ganhos de curto prazo. Por isso que eu só comparo a o aumento do meu patrimônio com o início da medição, e não mês a mês.

      Se preocupe apenas em aportar em empresas que possuam valor (lucros consistentes, boa geração de caixa, boa governança, dívidas equilibradas, que tenham pelo menos uns 10 anos de bolsa, etc. - você deve estudar por conta própria para descobrir quais empresas são boas para você, não siga dicas de outras pessoas, pois assim você não aprenderá nada e poderá acabar entrando em empresas que, se estudasse e aprendesse sozinho, não entraria nunca). Lembre-se que renda variável é para o longo prazo (de 20 anos para mais).

      Espero ter podido ajudar!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta. Ainda não invisto pq gosto de fazer análises matemáticas antes para saber exatamente o que eu estou fazendo. É como minha mente funciona. Isso acontece desde moleque. No xadrez tinha um colega q sempre ganhava de mim, então fiz uma estratégia matemática e melhorei muito, e por um tempo chegui a ganhar mais dele do que o contrário. Como a dama dele me dava trabalho e ele posicionava as peças de uma maneira melhor, minha estratégia era avançar os peões para eles ficarem mais valiosos e acabar com a dama dele, eu fazia isso trocando a minha dama mais um peão pela dama dele, ou até mesmo um bispo e minha dama pela dama dela; claro que era muito melhor se eu conseguisse trocar a minha dama pela dama dele. Com isso eu enfraquecia o posicionamento dele no campo, embora eu ficasse com um numero melhor de peças, ainda assim conseguia avançar os peões e ganhava no final do jogo transformando os peões em damas.

      Vc nao conseguiria responder essa minha pergunta sobre percentual mensal dos rendimentos usando outro fundo? E o FII, por exemplo? Dá p ganhar quanto % ao mes?

      Quero usar uns 5% em investimento de auto risco em que eu consiga melhorar através do meu conhecimento, no momento penso no poker, vc teria alguma dica sobre isso tmbm? Grato.

      Excluir
    3. Xadrez é um jogo bem legal, eu até gostaria de saber jogar melhor. O que me falta é tempo e paciência.

      Em relação às suas perguntas:

      1) Nenhum fundo de renda variável pode garantir nenhum percentual de retorno. Estes Fundos aportam em ativos de renda variável, e os preços de tais ativos estão totalmente fora do controle dos fundos. Portanto, o retorno é imprevisível. Estude, por exemplo, a história do Long Term Capital Management, um fundo administrado por ganhadores de prêmios Nobel de matemática, economia, etc. O fundo faliu. Não dá para usar matemática para prever resultados na renda variável.

      2) FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário) também são renda variável: embora mais estáveis do que ações, seus preços oscilam, e são imprevisíveis. A diferença é que eles são donos de imóveis (galpões logísticos, prédios de escritórios, lojas de rua, etc.) e pagam mensalmente um valor referente ao aluguel dos imóveis (pagam na casa de centavos por cota, para cada cota que você tiver). Não tem como colocar um retorno esperado nos FIIs. É impossível prever resultados na renda variável.

      3) Não entendo nada de apostas e só jogo cartas para me divertir. Por exemplo, eu não consigo (e nem quero) decorar as cartas que já saíram em jogos de buraco, copas, sueca, etc. o que me torna uma péssima pessoa para formar dupla em jogos desse tipo. Quando jogo cartas, eu me desligo da realidade e presto só o mínimo de atenção no jogo... não gosto de queimar neurônios decorando cartas. Também não acredito que alguém consiga ganhar dinheiro consistentemente através de apostas.

      Repetindo o que eu escrevi, é impossível prever resultados na renda variável, e por isso é impossível sequer estimar um retorno mensal. Só recomendo que você estude antes de começar a aportar. Dê uma lida nos materiais do site bastter.com. É um site bom sobre investimentos, principalmente para iniciantes.

      Excluir
  12. Ótima resposta. Obrigado pelos avisos e ensinamentos.

    ResponderExcluir