domingo, 4 de fevereiro de 2024

Aportes e Atualização Patrimonial - janeiro de 2024

 Saudações, confraria da Finansfera!


Um post rápido de atualização patrimonial, pois estou sem tempo.

Janeiro demorou para passar, foi muito mês para pouco salário! Havia muitas contas para pagar, e precisei sacar dinheiro da RE mais de uma vez este mês, e o meu aporte foi pequeno conforme veremos a seguir. Faz parte do jogo, pelo menos eu tinha o dinheiro!


Aumento acumulado de 300,3% desde o início da série histórica, em junho de 2021. De pouquinho em pouquinho, com muita prudência, disciplina e paciência, vamos nos libertando da corrida dos ratos. Não tenho um "número mágico" para chegar lá, mas é aquilo: cada aporte é um tijolinho na construção de meu castelo.

Segue o gráfico:


Conforme escrevi no começo do post: muitos gastos em janeiro (e em fevereiro também!), que me fizeram ter que sacar da RE: matrícula, material escolar, festa de aniversário de criança, IPTU (que sempre pago à vista para ganhar o desconto), dentre outros. Eu poderia ter optado por não aportar e com isso sacar menos da RE, mas prefiro não quebrar a sequência de aportes, que segue ininterrupta desde junho de 2021 (na verdade, ininterrupta desde meados de 2018, quando comecei a adiantar parcelas do financiamento para quitá-lo). 
Agora em fevereiro provavelmente este cenário se repetirá. 

Porém, sinto que preciso considerar a RE (e outras rendas fixas) como aportes (eu sei que são, mas na minha cabeça não são, entendem?), então pode ser que haja algum mês (ou dois) deste ano em que aportarei somente na RE (ou em alguma renda fixa) ou então metade do aporte irá para RE/renda fixa, para acabar com essa neurose que eu tenho. veremos!

Fechei 2023 batendo a marca das 4.000 Coroas, e por um milagre não saí deste valor mesmo com os gastos de janeiro (embora tenha batido na trave!).

Vamos aos comentários sobre a minha carteira, lembrando sempre que eu não sou profissional de investimentos, nem trabalho no mercado financeiro, e NENHUM ATIVO MENCIONADO NO BLOG E/OU EM SEUS COMENTÁRIOS É RECOMENDAÇÃO DE COMPRA!  Estudem sozinhos e decidam por si próprios aonde irão aportar e se irão aportar mesmo em renda variável! Nunca, jamais confiem em dicas de blogueiros, youtubers, tik tokers, tuiteiros, etc. ou vão perder até as cuecas!

O aporte do mês foi só em ações, e somente na Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), uma empresa que apresentou lucros em todos os anos desde seu IPO (ou seja, desde 1999). O único "porém" dela é que o sócio majoritário é o governo do estado do Paraná, e ainda tem a Black Rock se intrometendo no quadro de sócios. Por outro lado, por ser um serviço essencial e considerado monopólio natural devido à grande escala necessária, a receita tende a ser estável.
Com isso, a minha carteira  passou a ter 32 empresas:


Enquanto escrevia esta atualização, percebi que no geral as ações sofreram uma pequena queda. Os FIIs também, mas em efeito menor, como costuma ser com esta classe de ativos.

Não aportei em FIIs, renda fixa e nem no exterior, essas carteiras permanecem as mesmas:

A Carteira de FIIs permanece com 16 fundos, mas creio que este ano conseguirei incluir mais um ou dois na carteira.

Carteira de stocks (75%) e REITs (25%), na proporção que eu queria. Mas o próximo aporte no exterior eu provavelmente vou dar um levante nos REITs.

A Renda Passiva do mês foi de 11,5 Coroas, sendo 1 oriunda do exterior. Uma queda em relação a dezembro (mês que costuma ser gordo de dividendos) mas notei que ela foi maior do que as de todos os meses de 2021 e 2022, e sozinha já foi maior do que todo o acumulado de 2021, evidenciando o efeito bola de neve! Como eu escrevi acima, cada mês de aporte é um passinho adiante na caminhada para me tornar independente de empregos! Ainda falta muito, mas se Deus quiser eu chego lá!


Segue o gráfico com a renda passiva acumulada:


A renda passiva acumulada em 2023 foi o dobro da acumulada em 2022, mais uma vez evidenciando o efeito bola de neve


Segue o gráfico com o patrimônio total:



É isso pessoal, estou sem tempo para postar. Talvez eu faça outro post este mês (tenho vários no rascunho, e um deles quase pronto) e depois só a atualização patrimonial de fevereiro. 

Forte Abraço!
Fiquem com Deus!
Que todos tenham um excelente 2024!

segunda-feira, 1 de janeiro de 2024

Aportes e Atualização Patrimonial - dezembro de 2023

 Saudações, confrades!


Termina o ano de 2023,  e se inicia o ano de 2024 de Nosso Senhor. 

O ano inteiro tive a impressão de que 2023 estava passando bastante rápido. 

Será que 2024 vai ser assim também?

Espero que todos tenham tido um feliz Natal e uma excelente passagem de ano, ao lado de suas famílias!


Vamos à atualização patrimonial, como sempre expressa em Coroas, a moeda oficial do Mago Economista:



Eu realmente não esperava, mas acabei terminando o ano ultrapassando a casa das 4.000 Coroas! Graças a Deus!

Será que em 2024 eu ultrapasso as 5.000? Só o tempo dirá!

Dezembro foi um bom mês para os aportes, graças ao 13º, que foi quase totalmente aportado. Mesmo assim, tive que sacar um pouco da RE para fazer frente aos gastos extras de fim de ano, inclusive alguns consertos que precisei fazer em casa (mas RE é para isso mesmo, né). Notei que praticamente todos os ativos da carteira deram uma subida em relação ao mês anterior. O total em Ações e em FIIs já superou o valor inicial da carteira toda (1.000 Coroas, em junho de 2021)

Aumento acumulado de 308,2% desde o começo da série histórica em junho de 2021 (relembro que este valor inclui os aportes e as valorizações dos ativos)

Aportar todo mês, na disciplina, em ativos de valor e diversificadamente. Esse é o caminho no mundo das finanças pessoais. 

Segue o gráfico da evolução do patrimônio:



Seguem os aportes do mês, relembrando, como sempre, que NENHUM ATIVO MENCIONADO NO BLOG E/OU EM SEUS COMENTÁRIOS É UMA RECOMENDAÇÃO DE COMPRA!! 

NUNCA SIGAM DICAS DE FINANÇAS DE BLOGUEIROS,  TUITEIROS, ANÔNIMOS EM GERAL, E MUITO MENOS DE YOUTUBERS E "INFLUENCERS"! ESTUDEM SOZINHOS E ENCONTREM SEUS PRÓPRIOS CAMINHOS NO MUNDO DAS FINANÇAS!


Ações - sem aportes este mês. A carteira permanece com 31 empresas. Talvez agora em janeiro eu aporte em ações brasileiras novamente. Segue a comparação:




O próximo aporte deverá ser em Arezzo e na Vale, mas admito que estou cheio de vontade de aportar novamente na Engie, Weg, Mahle e Bradesco... Vamos ver o que consigo fazer! Janeiro geralmente é um mês de maiores gastos, então vou colocar isso como "meta" para o primeiro semestre de 2024.

FIIs - os aportes do mê s foram em ALZR11, um fundo de tijolo, híbrido, com vários tipos de imóveis e multi-inquilino; em LVBI11, fundo de tijolo focado em logística, também multi-imóvel e multi-inquilino e em FIIB11, o único fundo mono-imóvel da carteira (porém é multi-inquilino, e seu único imóvel é dividido em vários módulos, de maneira que ele é "quase" multi-imóvel na minha humilde opinião). 

Os 3 fundos já faziam parte da carteira, a qual permanece com 16 FIIs. 

Pretendo adicionar mais 1 ou 2 FIIs à carteira neste novo ano que se iniciou, até para compensar o "buraco" que o HGRE está se tornando.

Segue o gráfico de comparação entre os fundos da carteira:


HGRE11, com sua vacância ainda num patamar próximo a 30% (na casa dos 27%) permanece "de castigo" na carteira. Não aportarei mais enquanto a gestão não resolver esse problema. Ele segue sendo "diluído" na carteira de FIIs e no patrimônio como um todo. 


Exterior - os aportes do mês foram em: 

- Linde PLC, uma empresa sediada na República da Irlanda, da área de engenharia química, especialmente gases industriais (por exemplo, ela comprou a White Martins, a grande empresa da área de oxigênio hospitalar e que foi a alegria de muitos investidores brasileiros quando tinha ações em nossa bolsa). A empresa apresenta 32 anos seguidos de lucros crescentes, desde seu IPO em 1992. O lucro está na casa dos bilhões de dólares por ano. 

- Wells Fargo, uma grande financeira com décadas seguidas de lucro. Atua na área bancária, de seguros, hipotecas, administração de ativos, micro-crédito, previdência privada, etc. Seu IPO foi em 1952. Atualmente seus lucros também estão na casa dos bilhões de dólares por ano.

- E com as "sobras" da remessa e dividendos acumulados na corretora, aportei nos REITS Medical Properties Trust e Franklin Street Properties.

Segue o gráfico da carteira no exterior:





A proporção da carteira no exterior está do jeito que eu queria: aproximadamente 75% stocks e 25% REITs. Mas a mão está coçando para pegar o próximo aporte e aplicar somente em REITs. Veremos! Acho que eu não aportaria em nenhum REIT novo, apenas reforçaria aqueles que estão mais defasados no momento (exceto o talvez o Franklin Street, que eu devo ficar sem aportar por alguns meses agora).
O valor do dólar usado neste post foi de R$ 4,85.


Renda Passiva - dezembro costuma ser um mês generoso de dividendos. No total foram recebidas 14 Coroas de renda passiva, sendo praticamente 1,5 coroa oriunda do exterior.

Fora os FIIs, as empresas brasileiras que me pagaram dividendos em dezembro foram:

Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Raia Drogasil, M. Dias Branco, Fleury, Romi, Engie, Totvs, Multiplan, Odontoprev, Mahle, Taesa, Wiz Seguros, Grendene e Vale do Rio Doce. 16 empresas! Destaque para os dividendos da Vale: R$ 1,56 por ação; e da Engie: R$ 0,94 por ação!


No exterior, recebi dividendos das seguintes empresas: Coca-Cola, Exponent Inc., Home Depot, 3M e Emerson Electric. E recebi dividendos dos seguintes REITS: Gladstone Comercial, American Assets Trust, Realty Income, Stag Industrial, Weyerhaeuser, EPR Properties e Rayonier. No total foram 12 ativos no exterior me pagando dividendos, dos quais 5 são stocks e 7 são REITs. 

Sendo assim, no total 44 ativos me pagaram dividendos e aluguéis este mês. 

É como eu sempre digo por aqui: esta é uma das vantagens de diversificar bastante - a tendência de que todo mês haja algum(ns) ativo(s) te pagando dividendos, o que pode te ajudar em momentos de sufoco financeiro ou incrementar seus aportes.

Segue o gráfico da evolução da renda passiva mensal:



A renda passiva acumulada de 2023 (130 coroas) foi exatamente o dobro da de 2022 (65 coroas)! Segue o gráfico da acumulada anual:



Aos poucos a bola de neve vai crescendo e vamos alcançando a almejada Tranquilidade Financeira (TF) e, quem sabe um dia, a tão sonhada IF! Ainda há um longo caminho a percorrer! Sigamos adiante neste jornada!

Segue o gráfico com o patrimônio total da minha "holding" Mago S/A:


Total de ativos na carteira: 73, mais a RE. Será que em 2024 eu chego aos 100?

Generalidades

- Dezembro foi um mês bem complicado no trabalho, sofri grandes estresses, crise de ansiedade, etc. Minha imunidade caiu e passei uns dias doente agora nesse finalzinho do ano. Não é a primeira vez que isso acontece. Estou convencido de que preciso colocar uma data-limite para sair de lá, e/ou uma meta financeira para pedir as contas e ficar em casa só estudando para concursos ou ir para um emprego bem mais tranquilo, ou buscar uma qualificação que me permita mudar completamente de profissão. Provavelmente farei ambas as coisas em paralelo: a data-limite e a meta financeira. O que vier primeiro.

- Parando para refletir, meu emprego atual estava bom em 2019 (meu primeiro ano nele) e em 2020, e começou a deteriorar bastante em 2021, que foi um ano horroroso para mim. 2022 também foi bastante sofrido no trabalho, e 2023 começou mal e depois foi mais tranquilo a partir de março, mas infelizmente deu uma guinada para pior a partir de outubro.

- Pelo menos agora em 2024 estão previstos muitos concursos, inclusive aquele "concurso nacional unificado". Vou fazer todos os que eu puder, e se passar em algum, vou sem olhar para trás. Isso inclui até mesmo cargos onde eu ganhe menos, coisa que eu não estava "aceitando" antes. Para onde quer que eu vá, buscarei me manter para sempre em posições subalternas e técnicas, não quero nunca mais ser chefe de ninguém, gerenciar, etc.

- O próximo post deve ser uma "retrospectiva 2023" onde eu repenso as metas que foram traçadas e traçou novas metas para 2024.

- Algum colega da finansfera ganha dinheiro com aluguel de ações? Acho que minha corretora nem disponibiliza isso. Todas as vezes que eu procurei no aplicativo da corretora, nunca encontrei essa opção. Já ouvi dizer que só fica habilitada a partir de um valor mínimo investido, ou a partir de determinada quantidade de ações, mas acho que isso é boato. Nos meus tempos mais sardinhescos, cheguei a abrir conta numa dessas corretoras pequenas só para poder alugar as minhas ações, mas não valeu a pena. Será que hoje em dia está valendo?

É isso, confraria. Como foi o Natal de vocês? E a noite de ano-novo?


Forte Abraço!

Fiquem com Deus!

domingo, 3 de dezembro de 2023

Aportes e atualização patrimonial - novembro/2023

 Salve, salve, confraria, vamos a mais um post de fechamento mensal!


Novembro, mês com bons feriados, passou voando, e agora adentramos no último mês do ano de 2023 de Nosso Senhor. Como passa rápido o tempo, não é mesmo?


Ando sem tempo para o blog, por conta do ritmo mais intenso no trabalho e também por estar estudando. 


Agora vamos ao post propriamente dito, como sempre expresso em Coroas, a moeda oficial de meu blog:



Aumento acumulado de 287,7% desde o início da série histórica, em junho de 2021. Esse mês as ações no país e no exterior, bem como os REITs, deram uma subida. Só os FIIs que caíram, e precisei sacar um pouco da RE.

Segue o gráfico da evolução patrimonial:



Agora comentando cada classe de ativo, sem esquecer que NENHUM ATIVO MENCIONADO NO BLOG E/OU EM SEUS COMENTÁRIOS É UMA RECOMENDAÇÃO DE COMPRA E NEM DE VENDA:


Ações - o aporte do mês foi nas Lojas Renner, aproveitando a queda que as ações desta empresa estão sofrendo (e estava mesmo na hora de aportar nesta empresa, que estava defasada em relação ao restante da carteira). Notei que no geral as ações deram uma subida neste mês. 

Pelo que vi, a UGPA deu uma boa subida este mês. Dizem que o ideal é torcer para comprarmos cada vez mais caro, então está indo tudo bem.


FIIs - sem aportes este mês. A carteira permanece a mesma. Noto que essa é uma classe que divide opiniões pela finansfera, com alguns blogueiros decepcionados com o desempenho dos FIIs, ou reclamando da atuação dos gestores. 

Eu só aporto em FIIs para diversificar e, óbvio, para ganhar os aluguéis (que nem todo mundo, ora!), e por isso não me importo tanto com o valor das cotas (considero isso um mero "custo afundado"), mas acho que faz sentido buscar comprar, além dos que estiverem mais defasados, aqueles com um valor mais vantajoso por cota. Geralmente essas duas coisas coincidem. Mas por outro lado, muitas vezes a diferença é de poucos reais, o que para um pequeno investidor pessoa física que aporta pouco por mês (como é o meu caso e o de uns 90% da finansfera), isso acaba não fazendo muita diferença. 




Exterior - este mês aportei em 2 stocks e, com a "sobra" da remessa juntando com os dividendos acumulados na corretora consegui aportar em 2 REITs:

Eagle Materials, uma empresa do ramo industrial, fabricante de materiais para a construção civil, focada na fabricação de cimento e de placas de drywall. Eu particularmente gosto muito da área industrial. Ela tem 30 anos seguidos de lucro, e eles têm crescido bastante nos últimos 5 anos. O IPO foi em 1994.

Expoent, Inc., uma empresa que presta serviços de consultoria nos ramos de ciência, engenharia e saúde. Seus custos são relativamente baixos (praticamente apenas gastos com pessoal - salários e capacitação), não possui dívidas, e apresentou lucro em todos os anos de atuação desde seu IPO em 1990. Imagino que seja um lugar bacana para trabalhar.

Stag Industrial, um REIT do setor industrial que já fazia parte da carteira, dono de 568 imóveis distribuídos em 41 estados dos EUA.

Franklin Street Properties, um REIT do segmento de escritórios, que também já fazia parte da carteira. É bem pequeno para os padrões americanos, sendo dono de apenas 19 imóveis. Está passando por dificuldades, e necessitando se reestruturar. Por este motivo representa um % bem pequeno da minha carteira, e é mais uma aposta minha.




Renda Passiva - foi um bom mês: recebi 14,4 coroas, graças, principalmente, aos bons dividendos pagos pela Metal Leve SA (incríveis R$ 5,54 por ação!). 

Esse foi, até o momento, o 2º melhor resultado mensal de renda passiva. 

No total foram 19 ativos pagando proventos (fora os 16 FIIs da carteira):

Este mês recebi dividendos, no país, de 10 empresas: Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Metal Leve, Eztec, Arezzo, Cielo, Localiza e Klabin.

No exterior, recebi dividendos de 3 stocks e 6 REITS: Colgate Palmolive, Bank of New York Mellon, Paychex, Gladstone Commercial, NNN, Realty Income Corp., EPR Properties, Stag Industrial e Franklin Street Properties.

É como eu sempre digo aqui: uma das vantagens de diversificar bastante é, além do risco bem menor para o patrimônio, a tendência de que todo mês alguma(s) empresa(s) esteja te entregando dividendos, o que pode te ajudar em momentos de sufoco financeiro ou (idealmente) incrementar seus aportes todo mês.

Renda passiva crescente, graças a Deus! Mas ainda estou muito longe de considerar que atingi a TF!!




Segue o gráfico da distribuição de ativos da minha carteira (minha "holding"):




Generalidades

- os meses de novembro e dezembro costumam ser bem complicados no meu trabalho. Por isso não tenho dado atenção ao blog, e até para estudar tem sido difícil. Vamos ver se em janeiro a situação melhora. 

- outro dia estava correndo e um cachorro quase avançou em mim. A dona estava distraída, tirando selfies, e deixou o cachorro andando sem coleira - ele parou no último segundo por que a dona chamou ele, e então a moça ficou me olhando, com cara de bunda, e pediu aquelas desculpas bem insinceras. Tenho reparado que isso tem se tornado cada vez mais comum. Outro exemplo: um dia desses eu estava passeando com a família e do nada saíram 2 cachorros sem coleira de dentro de um prédio. O dono foi logo atrás, esbaforido, dizendo "calma, eles são mansos!". Mas óbvio que eu não confio, não vou arriscar deixar a família perto de cachorros desconhecidos e sem coleira. Infelizmente as pessoas no geral têm estado cada vez mais permissivas com seus cachorros, e deixam andar sem coleira e até a "fazer festa" em estranhos aleatórios na rua ... Nada contra os cachorros, já tive cinco ao longo da vida, mas deixar andar na rua sem coleira é flertar com o desastre, ainda mais se avançarem em alguém e acabarem machucando crianças... 
Confraria, se tiverem cachorro, não os deixem andar sem coleira por aí!

E vocês, confrades? Como foi o mês de novembro?

Forte Abraço!

Fiquem com Deus!